Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘The National Gallery’

GAINSBOROUGH, Thomas. The morning walk. Óleo sobre tela, 1785. Londres, The National Gallery

Como todos os grandes levantes populares, a revolução francesa, teve um efeito profundo, tanto nas roupas masculinas quanto nas femininas. Não havia mais casacos bordados nem vestidos de brocado, perucas ou cabelos empoados. Não havia mais penteados elaborados“.
ÁRIES, Philippe; DUBY, Georges. História da vida privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra.

O resultado foi uma onda de anglomania, que alcançou seu auge quando os privilégios dos nobres franceses foram extintos.
Durante a fase do terror da Revolução Francesa, era perigoso usar roupas elegantes de qualquer espécie, mas, após a execução de Robespierre, que combatia a nobreza, os que sobreviveram à guilhotina voltaram a se vestir como queriam.
E o que eles queriam usar era uma versão fantasiosa das roupas campestres inglesas, com colarinhos altíssimos na nuca, os lenços de pescoço tão volumosos que, às vezes, subiam acima do queixo e, até, escondiam a boca.
As perucas foram abandonadas e o cabelo não-empoado formava uma mecha desalinhada, escovada sobre a testa.
Nas roupas masculinas, a busca da simplicidade significou o abandono das roupas francesas.
Tiraram todos os bordados dos casacos e os mandaram fazer em tecido liso.
Aboliram os babados de renda no pulso e no pescoço, puseram de lado as meias brancas de seda e passaram a usar botas resistentes, além de substituir o chapéu, por uma forma primitiva de cartola.

Read Full Post »

FRAGONARD, Jean Honore. Young girl reading. Óleo sobre tela, 1776. Washington, The National Gallery

Nesta tela, os laços foram os grandes ornamentos, usados em vestidos e cabelos.
Os vestidos abertos eram compostos de corpete decotado em formato quadrado, com mangas até os cotovelos, terminadas em babados de rendas e lacinhos de fita.
Havia um recorte frontal na sobre-saia que deixava aparecer a saia de baixo repleta de ornamentos.

Use o campo do comentário:
O que lhe parece esse tipo de vestido cheio de ornamentos?

Read Full Post »

 

     

    

   

  

EYCK, Jan van. O casal Arnolfini. Têmpera em madeira, 1434. Londres, The National Gallery

 

 

O quadro O casal Arnolfini, adquire profundidade, detalhes, aspectos terrenos e realismo extremo.
Atrás do casal está escrito “Van Eyck esteve aqui”, como
se fosse um registro jornalístico, documentando a presença dele no casamento.

Nessa época gótica, era moda depilar o cabelo acima da testa para prolongá-la, em deferência ao superior.
No século XII, a justeza estava localizada no corpete do vestido das mulheres, e as saias mais amplas, com panejamento (dobraduras dos tecidos) mais volumoso.

O uso dos véus foi uma constante feminina.
O cabelo era enrolado acima das orelhas em pequenos coques.
Esse adorno corniforme apresentado pela mulher, que surgiu por volta de 1410, tinha uma estrutura de arame semelhante aos chifres de uma vaca e sobre essa estrutura prendia-se o véu.

Deixe seu comentário:

 

 

Qual a sua opinião sobre esse tipo de adorno nos cabelos das mulheres na época gótica?

 

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: